2/09/2009

Mariposa



"O meu casulo
avistou o teu
que estava vazio

Já és mariposa?
eis o projeto de meu corpo."

Enzo Potel


Borboleta

Grudada entre os vidros
uma borboleta
dança

sou essa menina sem asas
só cores jamais vistas

no fundo do arco-íris
um pote de formas e destinos
conto os dias
para partir

nunca vou derreter
sou bruta e leve
púrpura e flor

nasci dentro do vento
quando vôo

e quando minhas mãos
seguram as tuas

é purpurina
e primavera

3 comentários:

Seba disse...

Hum...

... sempre bom aqui...

Seba disse...

Curiosa hein??

hehe

Lu Chaves disse...

Que paz me deu esse poema!
Parece até que estamos na costa abraçadas e rindo, rindo muito.