9/30/2009

A ponte- para Alegre Corrêa


O medo do primeiro passo
a passo

a ponta da ponte
você, no começo do corpo
um pedra
um estorvo

era tudo para ser
um buquê
árvores frutíferas
ametistas cintilanto
um céu azul profundo

gotas vermelhas
da vitória

olhos cinzas do passado
o acaso


a ponte se rompe
as flores se extraviam
no leito do rio rachado

debaixo d água
uma porta trancada

lava

leva

lavra

um lótus brota do lodo
arranco

entre as corredeiras
e os restos
madeiras


o gelo

e o leito

Um comentário:

clotilde zingali disse...

que bonito isso Ryana :)) um abraço, Clô