7/22/2012

O que você não disse.

Você poderia ter olhado para trás antes de o motor ligar. Você poderia ter me dito mais, não me deixado esperar tanto.No entanto para onde olhou sempre foi o melhor.Me vestiu de doces. Me escondeu beijos.Assaltou meu coração cinza.Eu hoje poderia viver sem a sua lembrança.Seria tão bom. Mas estou fria.Quem de nós dois engoliu a chave?Qual é a porta? No buraco da minha solidão o seu sorriso. Que eu não quero mais ver, mas vejo. Quando adentro a mata, a minha mata, você está lá.Estas palavras vou deixar no parabrisa da sua vida. Tente remover o que está embaçado. Traga seu guarda-chuva de poemas. Suas cores. Mas coloco os pés no chão. Você:uma imensa praia. Você: que nunca olha para trás.Você: a razão. E na imensidão da sua pintura um querer cheio de balões de festa, fantasias quentes que embelezam a vida. Dono dos pergaminhos do belo. Tudo em ti é linha, graffite 0.1.Me inspira. Estou com o remo na mão.Vou atravessar a correnteza. Mas você quer? Estou com suas coisas aqui. Eu levo? Você me leva? Como vou chegar até aí, até você? Eu tenho certeza que você me ama.Nu. No meio do mar.

Um comentário:

Isis Michel disse...

E olhar pra trás faz parte do seu acaso? Teria você ao menos olhado? Vim pintar de laranja esse coração frio. Sol nascente anda tapando qualquer buraco. Germinando mata. Secando bicicleta. Dando dia de praia. Esquentando a festa! Se aqui pudesse, grafitava uma nascente enxurrada de palavras e declamava em rap: te levo pra maré cheia do Noel amanhã? Se tiver água no mar pode ter certeza que te amo até mesmo vestida!

Com carinho,

Isis

prapoamar.blogspot.br