3/13/2009

*Uma madrugada incapaz de superar crises



"É como dez mil colheres
quando tudo o que você precisa é de uma faca
É encontrar o homem dos meus sonhos
E então conhecer sua linda esposa
E isso é irônico... você não acha?
Um pouco irônico demais... eu acho..."

Alanis Morissette in Ironic





E essa mania poética de ver as coisas
Saudades do que se quebrou
Alarmes para o pó

Convivências noturnas com fantasmas:
Billie, Cássia, Elis e Tom

Filhotes de gato
Estrelas gritando no vazio
Cigarras buscando comunicações de massa

Silêncio impregnado de dúvidas e insônia
Miado no tapete
Unhas roçando no sofá
Preocupações
Gavetas de papéis
Filas
Bancos

Outrora o meu povo era o dançar
E o cacau era minha cor

Barulhos da casa em decomposição
Relógio marcando a hora do levantar
E os pássaros cantando
Entre as buzinas dos carros

Veia sem dono
Carne misturada de cheiros
e gosto pelo verde amplo

levanto para o mundo
querendo o passado
colando as fotos e as folhas do futuro
da mulher atual

lisos cabelos
preocupada
exauta

e esquecida
de mim.


*Acima quadro de Karina Segantinni "Uma mulher incapaz de superar crises" acrílico sobre tela

6 comentários:

Seba disse...

Madrugada sem fim essa...

bj

Aline Gallina disse...

Olá! Viajei pelo teu blog. Ele está bem variado, vindo de tudo quanto é canto - bem vivo. Parabéns pelas tua iniciativas... queria ler mais poemas de sua autoria.
Bjo.

rafaelo disse...

king of pain deve ser do Sting...The Police. coisa da minha geração..os coroa..vc é novinha...rs...

Caco Pontes disse...

pretty woman

Ricardo Valente disse...

Falta a química da trepada. Angústia é o dia seguinte! Beijo, linda!

Marcel Angelo disse...

Estava fazendo cadastro de livros na bibioteca Bilica, do Campeche, Desterro...
E achei um livro seu "A data invisível do Poema".
Vou levar para ler em casa^^.
Abraços do Geleiras. Talvez um dia por ae... Você também ache um livro meu.

Depois mando um respota ao le-lo.
Até.