12/23/2008

Último Andar



Alguém está descendo
a escada
na escuridão desta casa


no degrau:

roupas
rasgos
palavras
e pétalas de gerânio branco
Quem escondeu a sua voz
dentro deste travesseiro
do amanhã?


No nau que parte

diante de minha alta janela


vai esse pergaminho
com notas japonesas
desenhadas para o seu corpo


Eu só consigo ver você
de longe


Entre as submersas amarguras
essa mala
esta música
cantada apenas

dentro do mar
partido

5 comentários:

aurelio árcade disse...

isso ser inspirado no barba azul?

bjos

de maman disse...

ish, virei blogueiro =P
e no fim nem tomamos cafeh.
O tempo sempre me sacaneia.
beijo

Ricardo Valente disse...

Gostei dos versos soltos... muito bons poemas. Abraço!

Ricardo Soares disse...

poesia.... sempre necessária...bj

Nara Chagas disse...

Poxa..amei...muito